Envelhecimento de Isoladores Poliméricos

Desenvolvido pelo professor Ivan José da Silva Lopes, do Departamento de Engenharia Elétrica da Escola de Engenharia da UFMG, este projeto busca investigar o fortalecimento do campo elétrico em superfícies contaminadas e parcialmente molhadas de isoladores poliméricos que constitui importante fator de envelhecimento do isolador. Além disso, o estudo visa um melhor entendimento das alterações da distribuição de campo ao longo da superfície do isolador a partir de simulações computacionais.

Em se tratando de isoladores para exteriores, suas superfícies podem apresentar-se uniformemente ou parcialmente contaminadas. A distribuição de campo ao longo de tais isoladores pode variar drasticamente em função do grau de contaminação, portanto, é de extrema importância que se conheça as alterações na distribuição causadas pela contaminação da superfície. Particularmente, a combinação de contaminação com umidade é um problema adicional que pode dar origem a descargas elétricas que tendem a danificar gradativamente o material, levando o isolador ao envelhecimento.

Isoladores para exteriores são utilizados para propiciar sustentação mecânica e isolamento elétrico aos condutores aéreos energizados e suportam, além de esforços mecânicos e elétricos, condições ambientais variadas e muitas vezes adversas. O seu papel é extremamente importante para o sistema, pois um baixo desempenho do isolador pode comprometer e afetar globalmente a qualidade da energia elétrica de determinado sistema.

O campo elétrico superficial no isolador em pontos próximos à extremidade onde fica o condutor energizado é significativamente mais elevado, podendo ser suficientemente alto a ponto de produzir o efeito corona. Para evitar que isso ocorra, elementos equalizadores são instalados nesta região com a intenção de controlar e reduzir o campo nos pontos mais críticos, e, por isso, o conhecimento da distribuição do campo ao longo da superfície do isolador é muito importante.