Consultoria e produção de pozolana e agregado artificial

Desenvolvido por uma equipe do Departamento de Engenharia de Minas da Escola de Engenharia da UFMG, coordenada pelo professor Evandro Moraes da Gama, o projeto de consultoria e supervisão para produção de pozolana artificial e agregado foi realizado em parceria com a siderúrgica Gerdau a fim de transformar barragens de rejeitos em áreas de preservação ambiental, e os resíduos gerados pela mineração em produtos economicamente acessíveis.

O estudo surgiu de uma demanda da própria empresa, que procurou os pesquisadores da UFMG em busca de uma alternativa para diminuir o depósito de materiais em suas barragens de rejeitos. Essa técnica consiste na construção de reservatórios destinados a acomodar resíduos sólidos e água resultantes de processos de beneficiamento dos minérios. O armazenamento desses rejeitos é fundamental para evitar danos ambientais. Entretanto, essa técnica traz consigo uma série de riscos à sociedade e à natureza, tais como o que ocorreu com o rompimento da barragem de Fundão, controlada pela mineradora Samarco e localizada no subdistrito de Bento Rodrigues, a 35 km do centro de Mariana, em Minas Gerais, que causou o maior impacto ambiental da história brasileira.

Pensando nisso, o projeto consistiu num estudo detalhado sobre os materiais presentes nas barragens da Gerdau. A partir daí, foram produzidas areia e pozolana, matérias-primas que serviram de base para a produção de blocos, pisos e argamassa. Posteriormente, esses materiais foram utilizados na construção de uma casa modelo de 46 m², mostrando que é possível reutilizar elementos descartados pela atividade mineradora para baratear produtos e, portanto, torná-los mais acessíveis e de acordo com a preservação do meio ambiente.